N&S - Estruturas Metálicas

Notíciasj

AÇO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

28/03/12-às-09:30Postado por:nelson

Tipos de a√ßo para estrutura met√°lica de edif√≠cios A constru√ß√£o de edif√≠cios com estrutura met√°lica √© coisa antiga no exterior, principalmente nos EUA. Aqui no Brasil esta tecnologia come√ßou a chegar para valer h√° apenas alguns anos. Talvez por isto, alguns Arquitetos e Engenheiros acostumados com estruturas de concreto armado t√™m dificuldade para se adaptar √† estrutura met√°lica. Para estes, mostraremos um pouco dos materiais utilizados em substitui√ß√£o √†s vigas, pilares e lajes convencionais. Nas constru√ß√Ķes com estrutura met√°lica a escolha do tipo de a√ßo √© feita em fun√ß√£o de aspectos ligados a: ‚ÄĘ Meio ambiente onde as estruturas se localizam, ‚ÄĘ Previs√£o do comportamento estrutural de suas partes, devido √† geometria e aos esfor√ßos solicitantes. ‚ÄĘ Meio industrial com atmosfera agressiva √† estrutura, ‚ÄĘ Proximidade de orla mar√≠tima, e ‚ÄĘ Manuten√ß√£o necess√°ria e dispon√≠vel ao longo do tempo Os fatores acima influenciam a escolha de diversas maneiras. Por exemplo, condi√ß√Ķes ambientais adversas exigem a√ßos de alta resist√™ncia √† corros√£o. Por outro lado, pe√ßas comprimidas com elevado √≠ndice de esbeltez ou pe√ßas fletidas em que a deforma√ß√£o (flecha) √© fator preponderante s√£o casos t√≠picos de utiliza√ß√£o de a√ßos de m√©dia resist√™ncia mec√Ęnica. No caso de pe√ßas com baixa esbeltez e onde a deforma√ß√£o n√£o √© importante, fica mais econ√īmica a utiliza√ß√£o dos a√ßos de alta resist√™ncia. Os a√ßos estruturais utilizados no Brasil s√£o produzidos segundo normas estrangeiras (especialmente a ASTM (American Society for Testing and Materials) e DIN (Deutsche Industrie Normen) ou fornecidos segundo denomina√ß√£o dos pr√≥prios fabricantes. Assim, os a√ßos dispon√≠veis por aqui est√£o listados na tabela abaixo: A√ßos de m√©dia resist√™ncia para uso geral Descri√ß√£o Material Perfis, chapas e barras redondas acima de 50 mm ASTM A- 36 Chapas finas ASTM A-570 e SAE 1020 Barras redondas (6 a 50 mm) SAE 1020 Tubos redondos sem costura DIN 2448, ASTM A-53 grau B Tubos quadrados e retangulares, com e sem costura DIN 17100 A√ßos estruturais, baixa liga, resistentes √† corros√£o atmosf√©rica, m√©dia resist√™ncia mec√Ęnica Chapas USI-SAC 41 COR420 (USIMINAS) Chapas A√ßo estrutural com limite de escoamento de 245 MPa (COSIPA)

Perguntas e Respostas sobre Estruturas Met√°licas

27/04/10-às-16:10Postado por:nelson

P-1. Quais s√£o os conhecimentos geralmente exigidos dos profissionais que atuam na √°rea de estruturas met√°licas tais como: Projeto, Fabrica√ß√£o e Montagem? 1-1) √Ārea de projeto: * Capacidade de concep√ß√£o estrutural e adequa√ß√£o aos sistemas construtivo; * Resist√™ncia dos materiais; * Estabilidade; * Normas t√©cnicas nacionais e estrangeiras relativas aos materiais e execu√ß√£o de desenhos de fabrica√ß√£o e montagem; * Conhecimento das opera√ß√Ķes utilizadas na fabrica√ß√£o, prote√ß√£o e montagem; * Princ√≠pios que norteiam os sistemas de desenhos de projeto e de fabrica√ß√£o; * Crit√©rios de qualidade, adequa√ß√Ķes aos usos e especifica√ß√Ķes dos materiais. Nota: a √°rea de projeto √© onde se requer a maioria dos conhecimentos do processo construtivo com a√ßo. 1-2) √Ārea de fabrica√ß√£o * Organiza√ß√£o das f√°bricas de estruturas; * Processos envolvidos na fabrica√ß√£o; * Interpreta√ß√£o dos desenhos de projeto e de execu√ß√£o (detalhe de fabrica√ß√£o); * Equipamentos, suas fun√ß√Ķes, capacidades e limita√ß√Ķes; * Ferramental; * Qualidade dos servi√ßos e dos resultados relativos a cortes, fura√ß√Ķes, soldas, liga√ß√Ķes, etc; * Controles de estoques - armazenamentos, manuseios e transportes internos; * Sistema de limpezas e prepara√ß√£o das superf√≠cies para prote√ß√Ķes antiferruginosa. 1-3) √Ārea de montagem * Interpreta√ß√£o correta dos esquemas do projeto de montagem; * Interpreta√ß√£o e aplica√ß√£o dos sistemas de marca de montagem; * Normas para montagem; * Sistemas de equipamentos e ferramental; * Processos de liga√ß√Ķes - travamentos e escoramentos provis√≥rios; * Controle de prumos, n√≠veis e esquadrejamentos; * Controle de cronogramas; * Controle de qualidade de acabamentos em geral; * Sistemas de complementos, tais como coberturas, lajeamentos e interfaces com outros componentes da obra. P-2. Quais s√£o as vantagens do uso da estrutura met√°lica na constru√ß√£o de edif√≠cios? O termo vantagem pressup√Ķe competi√ß√£o, o que n√£o √© o caso. O correto √© conhecer as qualidades caracter√≠sticas e adequa√ß√Ķes decorrentes do uso das estruturas met√°licas, tais como: * Precis√£o dimensional em todas as partes da obra; * Leveza dos componentes; * Controles de qualidades em processo industrializado; * Maior independ√™ncia das condi√ß√Ķes clim√°ticas; * Pequena necessidade de manuten√ß√Ķes quando bem preparada na fabrica√ß√£o; * Pequena ocorr√™ncia de patologias; * Grande rapidez de execu√ß√£o e montagem, resultando prazos totais mais convenientes; * Redu√ß√£o das cargas nas funda√ß√Ķes. P-3. Quais s√£o as desvantagens? Tamb√©m n√£o seria o termo correto, e sim quando outros processos apresentam caracter√≠sticas mais adequadas ao escopo principal que √© a obra final, por exemplo, nos blocos de funda√ß√Ķes, lajes, tabuleiros de pontes e viadutos, colunas para grandes esfor√ßos de compress√£o, poder√£o n√£o ser met√°lico. P-4. Em termos custos, quais s√£o os custos m√©dios por m2, para estruturas de edif√≠cios? Os custos por m2 diferem pouco em rela√ß√£o ao processo, seja met√°lico, pr√©-moldado ou concreto. Para cada caso, dever√° ser estudado o sistema mais conveniente, lembrando que a estrutura em si abrange apenas cerca de 20 a 25% do valor da obra. √Č √ļtil se considerar o uso de estruturas mistas, onde o a√ßo e o concreto cumpram melhores suas fun√ß√Ķes, resultando num custo m√©dio conveniente. P-5. No aspecto de funda√ß√Ķes exigidas, existe alguma diferen√ßa entre os tipos? Considerando o peso estrutural, cerca de 10 vezes menor do que o peso das estruturas de concreto, apesar dos outros componentes dos pesos serem iguais, pode haver diferen√ßa nas funda√ß√Ķes com alijeramento quando as estruturas forem met√°licas, mas tudo depende das condi√ß√Ķes do solo e das caracter√≠sticas do edif√≠cio. P-6. Geralmente, atendendo os requisitos de manuten√ß√£o especificados, quais as durabilidades de tais estruturas? Se uma estrutura for bem executada e bem protegida durante a fase de prepara√ß√£o e pintura, a necessidade de manuten√ß√£o pode se tornar muito pequena. Qualquer ind√≠cio de necessidade de manuten√ß√£o √© francamente demonstrada, diferentemente do que acontece com as corros√Ķes internas das ferragens em estruturas de concreto pela a√ß√£o de poluidores, fissura√ß√Ķes e deforma√ß√Ķes lentas. Em resumo, as estruturas de a√ßo quando bem fabricadas, t√™m durabilidade quase sem limites. Quando fabricadas com a√ßos especiais de alta resist√™ncia √† corros√£o, esta durabilidade √© maior ainda, e sem maiores √īnus. P-7. Analisando o n√≠vel de mercado (pa√≠s, regi√£o, estado), como est√° o nivel de atividade no setor de estruturas met√°licas? Dados aproximados: * Estados do Sul (Minas Gerais, S√£o Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Rio Grande do Sul) - representam cerca de 70 % da utiliza√ß√£o de estruturas met√°licas produzidas no Brasil; * Estados do nordeste e centro - 20%; * Estados do Norte -10%. P-8. Quais as inova√ß√Ķes ou novidades tecnol√≥gicas da √°rea? A√ßos especiais com maior resist√™ncia aos esfor√ßos e maior resist√™ncia √† corros√£o. Exemplos a√ßos especiais: especifica√ß√Ķes A 588 e 570 (Corten - Cosarcor - SAC 40, etc.). Equipamentos mais sofisticados e adequados. Perfis soldados e eletrosoldados Maior qualidade em perfis formados a frio Normas brasileiras mais adequadas P-9. Que tipos de perfis s√£o os mais utilizados, laminados ou soldados? * Para estruturas leves: perfis laminados at√© 200 mm e perfis de chapas dobradas; * Para estruturas m√©dias e pesadas: perfis soldados. P-10. Quais s√£o os motivos da utiliza√ß√£o mais acentuada destes tipos de perfis? Perfis soldados, pela falta de fabrica√ß√£o no Brasil de perfis laminados de maior porte e em maiores quantidades. Perfis de chapas soldadas, em determinadas fun√ß√Ķes d√£o bons resultados decorrentes de momentos de in√©rcia adequados, com pesos reduzidos.

N&S ESTRUTURAS GALP√ēES SEARA E SADIA TELEFAX 34 3356 0920

26/11/09-às-23:09Postado por:nelson

JA ESTAMOS FORNECENDO OR√áAMENTOS E PROJETOS PARA GALP√ēES AVICOLA DE 150X16,00 MAIS 1,15 DE BEIRAIS E 150X15,60 MAIS 1,15 BEIRAIS 150X16,00 MAIS 1,15 DE BEIRAIS PARA INTEGRA√á√ÉO MAFRIG E SADIA ESTRUTURAS METALICAS EM A√á0 ESPECIAL SAC 41 COR 42O RESISTENTE A CORROZ√ÉO ATMOSFERICA. TODA ESTRUTURA SERA MONTADA A BASE DE PARAFUSOS GALVANIZADO DE A√áO SOB. COLUNAS PREMOLDADO DE CONCRETO E PINTURA COM PRIMER FUNDO E ACABAMENTO NAS CORES SINZA OU VERDE.

Mais aço na construção civil

25/05/10-às-15:29Postado por:nelson

Mais aço na construção civil O uso do aço na construção civil deve crescer no país. Com o atraso na implementação de obras de infraestrutura, especialmente as ligadas aos megaeventos esportivos de 2014 e 2016, a utilização de perfis metálicos é uma saída, de acordo com Amaryllis Romano, da Tendências Consultoria. A principal vantagem do sistema é a rapidez. "Uma obra com sistema construtivo baseado no aço pode ser concluída em tempo até 40% inferior aos processos tradicionais", diz Romano. Em 2009, o consumo de aço no mercado doméstico caiu 22%. Neste ano, porém, a expectativa é de alta de 12%, segundo a consultoria. "O principal entrave a essa saída é a falta de mão de obra especializada na área", diz. Fonte: O Estado de São Paulo Seção: Construção Civil Publicação: 25/05/2010

CONTATO

24/12/13-às-10:25Postado por:nelson

TELEFONES CONTATO 034-33560920 CEL. 34 9255 9277

Por que construir com Estruturas Met√°licas

22/12/09-às-15:36Postado por:nelson

Por que construir com Estruturas Met√°licas Estruturas Met√°licas ou de Concreto: Sistemas Construtivos que podem se completar.N√£o acho v√°lida a simples compara√ß√£o dos dois sistemas construtivos pois existem, para cada tipo de constru√ß√£o, vantagens no uso de estruturas met√°licas ou de concreto (ver quadro abaixo). N√£o deveria existir uma mentalidade competitiva, mas sim a de se tirar proveito do melhor de cada um dos sistemas, podendo ainda as solu√ß√Ķes mistas serem as mais proveitosas, onde cada material √© adequadamente utilizado num trabalho conjunto. No caso de edif√≠cios, onde mais se insiste em compara√ß√Ķes, √© quase imposs√≠vel afirmar "a priori", que a estrutura met√°lica seja melhor ou pior que a de concreto. Cada caso dever√° ser examinado tecnicamente, visando o satisfat√≥rio resultado de custo-benef√≠cio. A tend√™ncia na √°rea de constru√ß√£o √© de aumentar a utiliza√ß√£o das estruturas met√°licas, ainda carente no Brasil por um fato cultural e hist√≥rico. Hoje em dia, a mentalidade est√° mudando, especialmente por parte dos arquitetos, que s√£o sempre os grandes aliados dos sistemas construtivos. Com a exist√™ncia de f√°bricas maiores e de projetos mais sofisticados, aliados √† maior experi√™ncia, a quantidade de estruturas met√°licas para grandes obras tem aumentado. Quadro Comparativo das Caracter√≠sticas dos 2 Sistemas Construtivos (Considerando no entanto, que cada caso deve ser criteriosamente avaliado)nullnull

Considera√ß√Ķes para o Projeto do Galp√£o

22/10/09-às-17:06Postado por:nelson

3. Considera√ß√Ķes para o Projeto de Galp√£o Sempre baseado em especifica√ß√Ķes e normas reconhecidas. o projeto de um galp√£o. examina um grande n√ļmero de requisitos inter-relacionados que devem ser considerados em cada uma das tr√™s etapas do processo: ‚ÄĘ Projeto Conceitual (Concep√ß√£o), est√°gio onde s√£o tomadas todas as decis√Ķes relativas √†s dimens√Ķes principais como a altura total e o v√£o livre, cr√≠ticos para permitir os espa√ßos livres internos e as alturas necess√°rias para as fun√ß√Ķes do galp√£o. √Č a etapa que exige maior experi√™ncia e onde deve ser gasto a maior parte do tempo dispon√≠vel para o projeto, porque √© no projeto conceitual que se define todos os partidos estruturais. Devem-se observar todas as caracter√≠sticas de cada tipo de estrutura que poder√° atender ao projeto, para definir a forma a ser adotada para a estrutura principal e as suas inter-rela√ß√Ķes com as estruturas secund√°rias e os elementos de veda√ß√£o, ilumina√ß√£o e ventila√ß√£o, al√©m das necessidades para a movimenta√ß√£o de cargas, como as pontes rolantes e as monovias. ‚ÄĘ Projeto Preliminar (Pr√©-Dimensionamento), quando os elementos s√£o pr√©-dimensionados para fins de estimativas. O projeto preliminar ou pr√©-dimensionamento deve ser feito para cada tipo de estrutura analisada. definindo as dimens√Ķes e os pesos aproximados dos elementos que comp√Ķem a estrutura. Normalmente se emprega para o pr√©-dimensionamento. recursos como: tabelas. √°bacos. planilhas de c√°lculo de elementos isolados. al√©m de compara√ß√Ķes com estruturas existentes. de forma a obter as se√ß√Ķes dos elementos com uma precis√£o suficiente para os objetivos desta etapa. ‚ÄĘ Projeto Definitivo (Projeto Executivo), quando s√£o consideradas todas as cargas para o dimensionando final de todos os elementos. inclusive definindo os tipos de liga√ß√Ķes que ser√£o usados. Muito cuidado com os detalhes procurando sempre entender a inter-rela√ß√£o entre os v√°rios elementos que comp√Ķem o conjunto do galp√£o. para evitar solu√ß√Ķes que possam criar dificuldades para a fabrica√ß√£o e para a montagem. observando que muitas vezes um detalhe bem resolvido pode ser mais importante que um peso menor. 3.1 Cargas As cargas que devem ser consideradas no projeto do galp√£o s√£o: ‚ÄĘ Cargas Permanentes - Peso pr√≥prio da estrutura, das telhas, etc. conforme NBR 6120. ‚ÄĘ Sobrecargas - Previs√£o para instala√ß√Ķes e manuten√ß√£o da cobertura, conforme NBR 8800. ‚ÄĘ Cargas de Vento - A√ß√Ķes devidas aos ventos, conforme NBR-6123. ‚ÄĘ Cargas das Pontes Rolantes - A√ß√Ķes verticais e horizontais e coeficientes de impacto, conforme NBR 8800 e os cat√°logos dos fabricantes das pontes. ‚ÄĘ Combina√ß√Ķes de Cargas - Examinar todas as combina√ß√Ķes, na busca da combina√ß√£o cr√≠tica. 3.2 An√°lise Estrutural Conforme a NBR 8800 ou o AISC. verificando os limites de resist√™ncia e de utiliza√ß√£o: 3.2.1 Limites de Resist√™ncia Dependendo do tipo de solicita√ß√£o do elemento. do tipo do a√ßo e do tipo do perfil adotado. 3.2.2 Limites de Utiliza√ß√£o Verificar as deforma√ß√Ķes m√°ximas e as vibra√ß√Ķes excessivas. 3.3 Principais Elementos dos Galp√Ķes Os principais elementos estruturais que comp√Ķe o projeto do galp√£o s√£o: ‚ÄĘ Colunas do p√≥rtico e colunas de tapamento lateral e frontal ‚ÄĘ Contraventamento vertical e no plano das ter√ßas ‚ÄĘ Vigas inclinadas do p√≥rtico e suas m√≠sulas ‚ÄĘ Vigas de rolamento e consoles ‚ÄĘ Viga de beiral e cumieira ‚ÄĘ Ter√ßas e vigas de tapamento ‚ÄĘ Tirantes flex√≠veis (correntes) e tirantes r√≠gidos ‚ÄĘ Placas de base e chumbadores

BEM-AVENTURADO

20/01/11-às-14:18Postado por:nelson

Salmos 1:1-6 1 - BEM-AVENTURADO o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. 2 - Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite. 3 - Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará. 4 - Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha. 5 - Por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos. 6 - Porque o SENHOR conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá.

Rapidez, economia, tecnologia e qualidade

18/04/09-às-21:41Postado por:nelson

Resid√™ncias constru√≠das com estrutura met√°lica Atualmente, o Brasil domina a tecnologia de obras industrializadas, tanto na √°rea industrial quanto na residencial, possibilitando a execu√ß√£o de constru√ß√Ķes com rapidez, qualidade e conceitos de destaque.Especificamente na √°rea residencial, a constru√ß√£o industrializada se mostra uma op√ß√£o muito mais r√°pida e competitiva tanto para satisfazer as exig√™ncias do residencial de alto padr√£o quanto para projetos desenvolvidos para o segmento de baixa renda. Diversas construtoras nacionais tem se especializado neste segmento oferecendo sistemas de constru√ß√£o com o mesmo n√≠vel de tecnologia empregado em Estados Unidos, Canad√°, Austr√°lia, e muitos outros pa√≠ses. Utilizando estes avan√ßos, casas populares podem ser constru√≠das em s√©rie em menos de 30 dias, e resid√™ncias de alto padr√£o em at√© 120 dias, prazos imposs√≠veis de atingir em constru√ß√Ķes convencionais. Este sistema de constru√ß√£o, chamado nos Estados Unidos de "steel frame", √© tamb√©m conhecido no Brasil como "constru√ß√£o a seco" e seu estilo √© caracterizado pelo nome "American Home". O sistema industrializado de constru√ß√£o usa basicamente produtos padronizados de tecnologia avan√ßada, em que os elementos construtivos s√£o produzidos industrialmente, onde a mat√©ria prima utilizada, os processos de fabrica√ß√£o, suas caracter√≠sticas t√©cnicas e acabamento passam por rigorosos controles de qualidade. Estes materiais padronizados permitem uma redu√ß√£o significativa de m√£o de obra, evitando tamb√©m desperd√≠cios e erros. O Portal [email protected] est√° hoje disponibilizando um amplo leque de p√°ginas mostrando todas as op√ß√Ķes dispon√≠veis no mercado sobre casas industrializadas, sejam de alto padr√£o ou populares. Os principais elementos industrializados utilizados na constru√ß√£o de uma resid√™ncia com estas caracter√≠sticas podem ser encontrados no GLOSS√ĀRIO ao lado, onde cada item levar√° a uma p√°gina descrevendo as caracter√≠sticas t√©cnicas, as vantagens e as formas de uso de cada material.

ENDEREÇO imail telefones contato

15/04/14-às-13:01Postado por:nelson

ESTRUTURAS METALICAS N&S Nelson DISTRITO IND. Qd 53 Lt 01 n: 400 CEP. 38 160-000 NOVA PONTE MG TELEFAX 34 3356 0920 - 34 9255 9277. CNPJ:05.894.272/0001-04 ‚Äď INSC EST: 001021843.00-78 WWW.estruturasmetalicas-nes.ind.br [email protected]

N&S EMPRESA CREDENCIADA NA SADIA NA CONST. DE GALP√ēES AVICOLA E SUINO

10/04/09-às-16:51Postado por:nelson

ESTRUTURAS METALICAS EM A√áO SAC41 OU COR420 MONTAGEM FEITA A BASE DE PARAFUSOS GALVANIZADOS SOBRE COLUNAS PRE-MOLDADAS CONFORME ESPECIF√á√ÉO PARA GALP√ēES SUINOS E AVICOLAS TELEFAX 34 3356 0920 - 34 9255 9277.

Estrutura de Aço para Telhado Substitui a Madeira com Vantagens

06/04/09-às-15:37Postado por:nelson

f√°cil reposi√ß√£o - montagem mais r√°pida - adapt√°vel a quaisquer projetos e tipos de telha (cer√Ęmica, concreto, fibrocimento ou shingles) - n√£o empena - n√£o emana odor desagrad√°vel - o a√ßo √© 100% recicl√°vel - o risco de inc√™ndio √© reduzido, "Apag√£o" Florestal O Brasil tem a segunda maior extens√£o territorial coberta por florestas do mundo, atr√°s apenas da R√ļssia. Uma parcela √≠nfima disso - cerca de 1% - corresponde a √°rvores cultivadas, justamente utilizadas por v√°rios setores industriais como fontes de mat√©ria-prima e energia (as florestas nativas s√£o protegidas pela legisla√ß√£o ambiental, o que torna sai explora√ß√£o invi√°vel). Trata-se de uma produ√ß√£o insuficiente para acompanhar o crescimento de empresas de √°reas como siderurgia, papel e celulose, m√≥veis, pain√©is e chapas. Atualmente, o d√©ficit de oferta j√° √© de 8% em rela√ß√£o √† demanda. Segundo especialistas, poder√° subir para 30% caso esse quadro se perpetue.

N&S Estruturas Metálicas,Alameda das Palmeiras, Qd 53, lote 1, nº 400 Distrito Industrial – Nova Ponte – MG ,Desenvolvido por Allan Borges allanborges@gmail.com